LGPD e a segurança dos dados de seus clientes

Existem sites de diversos segmentos que recolhem dados dos usuários em troca de eBooks e conteúdos exclusivos. Mas em algum momento você já parou para pensar como todas as informações ficam salvas? Pensando nisso, preparamos este artigo a fim de ensinar um pouco mais sobre a LGPD e como ela funciona na prática. Continue a leitura!

Compartilhe nas redes sociais:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

O universo digital está em constante evolução. A todo momento novas tecnologias são criadas a fim de otimizar ainda mais a experiência das mais de 3 bilhões de pessoas que navegam na internet diariamente. 

Existem sites de diversos segmentos que recolhem dados dos usuários em troca de eBooks e conteúdos exclusivos. Mas em algum momento você já parou para pensar como todas as informações ficam salvas? 

Justamente para resolver esse ponto que a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) foi criada. Ela garante que todos os dados fornecidos pelos clientes estejam seguros. 

Pensando nisso, preparamos este artigo a fim de ensinar um pouco mais sobre a LGPD e como ela funciona na prática. Continue a leitura!

LGPD

Conheça a Lei Geral de Proteção de Dados

A LGPD foi criada para regulamentar o fornecimento dos dados de todos os usuários, de forma direta ou não, como nome, data de nascimento, localidade, RG, entre outros. 

É fundamental que a pessoa permita que determinada loja ou plataforma tenha acesso aos seus dados para qualquer tipo de finalidade, desde o armazenamento para comunicações futuras ou para o compartilhamento de informações específicas com terceiros. 

Geralmente, essas permissões são solicitadas logo no primeiro contato com a marca. Por exemplo, vamos supor que você acabou de ler um texto em um blog de odontologia sobre tratamento de canal e de tanto gostar do conteúdo, assinou a newsletter. 

É muito provável que em alguma parte do cadastro você se depare com um item selecionável que diz algo como “aceito receber informações exclusivas por SMS e e-mail”. 

O Governo Federal decretou que a partir do primeiro semestre de 2021, as sanções já poderão ser aplicadas para empresas que não cumprirem as normas da LGPD.

As multas podem variar de 2% do faturamento total da empresa até o valor de R$50 milhões. 

LGPD

Afinal, o que essa lei determina? 

Sabemos que toda corporação retém uma grande quantidade de informações de seus clientes.

Seja para disponibilizar cupons de descontos em lojas de maquiagem ou agendar uma consulta para falar sobre clareamento a laser valor. Esses dados são recolhidos a todo instante,  independentemente do segmento. 

É exatamente por isso que as empresas precisam estar atentas às normas desta lei. Confira alguns exemplos: 

  • É proibido o uso de dados de todo e qualquer cliente para uma finalidade que não tenha sido avisada – e permitida, previamente;
  • Informações de menores de idade só poderão ser utilizadas a partir de uma autorização do responsável legal;
  • A empresa é obrigada a permitir que o cliente possa ajustar, revisar, bloquear e deixar de fornecer qualquer dado anteriormente coletado.
LGPD

Como se regularizar? 

Agora que você já sabe o que é a LGPD e qual a importância de cumpri-la, este é o momento ideal para colocar em prática tudo o que aprendeu. Separamos alguns passos que podem ser usados como um norte. São eles:

  1. Identifique suas necessidades

Primeiramente, você deve identificar quais são as informações de que precisa e com qual finalidade. Crie uma lista detalhada com os dados necessários, a forma que você deseja recolher e quais mudanças serão necessárias. 

Imagine que um consultório odontológico deseja criar uma lista de transmissão para todos os pacientes que fizeram implante dentario

Além disso, será necessário que todos os pacientes autorizem o uso de suas informações antes mesmo de fazer o procedimento. 

Caso contrário, tal atitude estará infringindo a LGPD e pode ser interpretada como invasão de privacidade. 

  1. Tenha um time especializado

É essencial que você tenha uma boa equipe responsável pela auditoria do cumprimento a LGPD em sua empresa. 

Caso você não tenha uma área específica para isso, existem diversas empresas que prestam serviços terceirizados. 

O importante é que você consiga ter um bom apoio para que nada seja esquecido ou passe despercebido. 

  1. Sempre seja transparente

Você já deve ter percebido que a principal finalidade da LGPD é a garantia de que todas as empresas sejam transparentes para com os seus clientes. 

Portanto, não importa a finalidade dos dados que estão sendo solicitados, é essencial que isso seja comunicado à pessoa que estiver assinando um contrato, fazendo um cadastro ou apenas, preenchendo um orçamento para um procedimento como a manutenção de aparelho transparente

Ou seja: é preciso que suas intenções à respeito dos dados coletados estejam o mais transparente possível! 

Considerações finais

Se aprofunde em todas as normas desta lei e certifique-se de que você não estará em dívida com o Governo. Converse com o seu departamento jurídico ou então com a equipe que você contratou e esteja alinhado com todas as obrigações necessárias.

Dessa forma, você poderá ser referência no mercado quando o assunto for a gestão e proteção dos dados de todos os clientes.

Afinal, estar de acordo com a LGPD faz com que os seus clientes se sintam mais seguros em relação a sua empresa e, consequentemente, confiem em seu trabalho. 

Conteúdo foi produzido por Mayara Santos, redatora na empresa Clínica Ideal

Compartilhe nas redes sociais:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Posts Relacionados:

Utilizamos Cookies para melhorar sua experiência, ao continuar você aceita nossa política de privacidade.